Acupuntura

Publicado em 24 de março de 2009, terça-feira.

Desde 1995 quando foi considerada uma especialidade médica no Brasil a acupuntura vem se reinventando. Incorporada à medicina tradicional, a terapia milenar chinesa ganhou contornos científicos e mostrou que pode ser mais útil do que se pensava anteriormente.

As agulhadas em pontos específicos do corpo não apenas estimulam a produção de substâncias que promovem a sensação de bem-estar, como a endorfina e a serotonina, como ativam a liberação do cortisol, conhecido por ter uma ação antialérgica e antiinflamatória. Esse benefício aumentou a lista de indicações da acupuntura, que começa a ser recomendada para tratar distúrbios do sono, alergias, doenças de pele, problemas gastrointestinais e emocionais e até sequelas de AVC.

Mesmo para quem não é fã das picadas, como crianças e adolescentes, agora existem alternativas. Em vez das fincadas, os pontos no corpo são ativados por lasers que simulam o efeito da agulha.

A aproximação dos últimos avanços científicos com a terapia tradicional chinesa proporcionou o surgimento da chamada acupuntura neurofuncional. A nova prática não usa os conhecimentos da medicina chinesa em que as agulhadas são dadas em pontos determinados do corpo. Essa nova frente é baseada nos conhecimentos mais atuais sobre o funcionamento do cérebro e das funções orgânicas e prega que cada paciente receba um tratamento de acupuntura específico para o seu problema. Através de exames clínicos detalhados e de um conhecimento profundo de neurofisiologia pode-se descobrir a causa da doença e definir quais os pontos para o agulhamento.

O amparo científico garante que os resultados não sejam apenas o alívio da dor, mas a cura da doença em alguns casos. Para pacientes com tendinite inicial, por exemplo, oito a dez sessões podem reverter o quadro.

Indicações

- Tratamento da dor pós-operatória;
- Náusea e vômitos da quimioterapia;
- Reabilitação de AVC;
- Dores de cabeça;
- Cólicas menstruais;
- Inflamação do cotovelo;
- Fibromialgia;
- Dor miofascial;
- Osteoartrite;
- Dores lombares;
- Síndrome do túnel do carpo;
- Asma;
- Alergia;
- Tratamento para a fertilidade;
- Doenças da pele;
- Estresse;
- Hipertensão;
- Problemas gastrointestinais;
- Distúrbios do sono;
- Tendinite.

Contra-indicações

- Insuficiências renal ou hepática;
- Doenças neurodegenerativas, como a esclerose múltipla;
- Tumores malignos ou hemoblastoses (apenas para atenuar a dor);
- Psicoses;
- Infecções;
- Distúrbios hormonais e de vitaminas.

Copyright 2017 © Bem de Saúde - Todos os direitos reservados

As informações e sugestões contidas nesse site têm caráter meramente informativo, e não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, dentistas, nutricionistas, psicólogos e profissionais de educação física.