Perda da memória tem cura. Sabia?

Publicado em 3 de agosto de 2009, segunda-feira.

Inicialmente, as imagens, os diálogos, movimentos, cheiros, são captados pelos sentidos. Há um rearQuando estamos abarrotados de dados, fica difícil se concentrar naquilo que realmente precisamos lembrar mais tarde. A assimilação (é bom repetir a palavra, isso ajuda a lembrar) é a primeira etapa do processo de memorização. ranjo no circuito cerebral, uma alteração na taxa de disparos químicos entre os neurônios - as células que fazem a comunicação de dados no cérebro. Essa é a memória de curto prazo, que você usa rapidamente e esquece em seguida.

Para que você possa acionar um dado uma ou duas semanas depois de tê-lo captado, é preciso convertê-lo em memória de longo prazo. Esse trabalho fica a cargo do hipocampo. É ele que entra em ação quando você decide quais as frases, os rostos e os números que devem ser arquivados para uso futuro. O hipocampo envia os dados para diferentes locais do córtex cerebral. Lá ocorre uma alteração química, dessa vez mais profunda, que fortalece as conversas entre as células da massa cinzenta. Quanto mais extensa e bem enraizada for a rede de neurônios, mais fácil será o acesso ao escaninho depois.

Assim que as cenas, os sons, os cheiros e outros elementos são integrados aos circuitos do cérebro, o hipocampo descansa e entra em cena o lobo frontal, estrutura responsável pelo processo de recordação. É ele que traz à tona todas as informações que foram devidamente estocadas. O lobo frontal coordena as diversas memórias e é a parte do cérebro que o ser humano tem mais desenvolvida em relação aos animais.

No lobo frontal, que é tão complexo quanto frágil, a memória de curto prazo e a de longo prazo se completam para formar aquilo que chamamos de raciocínio. Além do excesso de informações, a falta de memória pode ser provocada também pela depressão, pela ansiedade e pelo estresse. Uma pessoa com tendência ao baixoastral, por exemplo, acaba se preocupando mais com o que a está aborrecendo do que com os outros aspectos da vida. Um ansioso tem muita dificuldade para se deter por muito tempo no mesmo assunto. O estresse, além de atrapalhar a concentração, pode interferir de outras maneiras. Suspeita-se que ele encolha o hipocampo e libere hormônios que danificam as moléculas transportadoras de energia, deixando o cérebro sem força suficiente para operar. Sem contar que existe um parentesco estreito entre o estresse e a síndrome da fadiga da informação. Há também exercícios mentais que podem estimular a memória. Confira alguns deles:

CHART: Este exercício foi desenvolvido para o treinamento de astronautas e profissionais que trabalham para a NASA - Estados Unidos. Escreva num quadro - pode ser de papel, flip chart ou negro - e embaixo de cada letra do alfabeto escreva BD, de braço direito, e BE, de braço esquerdo. Em seguida, leia a letra, fale o som da letra em voz alta e acompanhe com o movimento dos braços de acordo com o que está indicando abaixo da letra: D ou E. Quando estiver bem treinado com o braço, acrescente as pernas, direita e esquerda, aumentando o grau de complexidade do exercício.

CAMPO DE NEVE: Este exercício é indicado para desenvolver sua memória fotográfica. Feche os olhos. Imagine um campo de neve, muito branco. Para atingir este estágio de mentalização, deixe que as imagens, sons, cores e cheiros que passarem na sua mente vão embora, até o campo ficar completamente branco, vazio. Mentalize o que você deseja lembrar e não está conseguindo e dê uma ordem para o seu cérebro para a informação que deseja. Em pouco tempo você irá se lembrar.

BOTÕES CEREBRAIS: Esta técnica serve para expandir a memória. Coloque uma das mãos no umbigo e os dedos polegar e o indicador da outra em cima do osso do pescoço, no externo. Massageie lentamente o local, movendo os olhos e respirando profundamente. Troque as mãos e repita o exercício.

PLANEJAMENTO: Colocar os dedos polegar e indicador no meio da testa, no meio dos olhos, entre a sobrancelha e a raiz dos cabelos. Pressione levemente por um minuto. Este exercício pode ser feito no início da manhã, para organizar melhor o seu dia. É indicado também para aliviar tensões.

CADÊNCIA BARROCA: Inspire lentamente, contando de 0 a 4; prenda a respiração, também contando mentalmente de 0 a 4; e finalmente expire lentamente, contanto novamente de 0 a 4. Este exercício acalma. Mas não deixe toda a responsabilidade de lembrar de seus compromissos por conta dos seus pobres neurônios. Alimente uma espécie de memória paralela. Liste as coisas que você tem a fazer. Use muito a agenda. Ajuda também anotar praticamente tudo. Sim, aqueles papelinhos espalhados por toda a casa, geladeira, escritório, no trabalho, em cima da mesa. Dê a elas um título (com indicações como "recomendo", "preciso") e depois passe para o computador.

Copyright 2017 © Bem de Saúde - Todos os direitos reservados

As informações e sugestões contidas nesse site têm caráter meramente informativo, e não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, dentistas, nutricionistas, psicólogos e profissionais de educação física.