As principais DSTs

21 de setembro de 2007

Gonorréia: é uma infecção causada por uma bactéria denominada Neisseria Gonorrhoeae. No homem parece uma secreção purulenta 2 a 10 dias após o contato sexual suspeito, com dor e ardência ao urinar. É uma infeção só da uretra (uretrite). Na mulher tem aspecto clínico variado desde formas quase sem sintomas até vários tipos de corrimento amarelados e com odor forte na vagina (vaginite) e uretra. A infecção não tratada avança para os testículos (orquite) e a próstata (prostatite) no homem e trompas e útero nas mulheres.

Sífilis ou Lues: é uma infeção causada por uma bactéria, a Espiroqueta Treponema Pallidum. Tanto no homem quanto na mulher, no período de 20 a 30 dias após o contato sexual, surge uma pequena ferida (úlcera) nos órgãos genitais (pênis, vagina, colo do útero, reto). Essa úlcera também é chamada de cancro duro (que vem junto com os gânglios (caroços) na virilha); ambos desaparecem em um mês, dando a falsa impressão que a doença sarou. Surgem depois de 1 a 2 meses manchas na pele (sífilis secundária) que pode progredir agredindo o sistema nervoso e o coração. As gestantes com sífilis podem ter abortamentos, natimortos ou fetos com problemas de má formação.


Cancro Mole ou Bubão: é causada por uma bactéria chamada Haemophilus Ducrey. Neste caso, surgem várias feridas nos genitais (que são doloridas) e na virilha. A secreção dessas feridas pode contaminar diretamente, sem ter relações sexuais, outras pessoas e outras partes do corpo.

Tricomoníase: é causada pelo protozoário Trycomona Vaginalis. Na mulher causa um corrimento amarelo, fétido, com cheiro típico, que pode causar irritação urinária. No homem passa despercebido, mas mesmo assim ele pode contaminar e ser contaminado pela mulher. O casal deve fazer o tratamento concomitante.

Herpes Genital: é causada pelo vírus Herpes simplex 1 e 2 . Em ambos os sexos surgem pequenas bolhas que se rompem e causam
ardência ou queimação (mas, que cicatrizam sozinhas). Aparecem e desaparecem espontaneamente, reguladas por stress ou ciclo menstrual. Não há cura definitiva. O contágio sexual só ocorre quando as bolhas estão no pênis, vagina ou boca.

Condiloma acuminado ou crista de galo: é causado por um vírus HPV ou Papilomavírus humano. É uma virose que está relacionada com o câncer de colo do útero e câncer do pênis. É uma doença de difícil tratamento, pois como os antibióticos não atuam contra o vírus, o medicamento utilizado precisa ser um anti-vírus, como é o caso dos usados no tratamento da AIDS. É caracterizada por uma pequena verruga nos órgãos genitais tanto do homem como da mulher. O tratamento é do casal. Uma mulher com esse vírus deve evitar ficar grávida, pois o filho pode ser contaminado com graves conseqüências.
Apresentando mais de noventa tipos diferentes, o HPV provoca verrugas genitais, que muitas vezes agridem o colo do útero, podendo levar ao câncer. O HPV 16, por exemplo, é extremamente agressivo, proliferando-se intensamente nos genitais e no colo uterino. Já foram registrados casos até em pacientes de 15 anos, com câncer no colo do útero provocado pelo HPV.

Cândidíase ou Flores Brancas: é uma doença causada por uma micose ou fungo chamada de Candida albicans, que produz um corrimento semelhante a um leite coalhado que causa muita coceira e afeta de 20 a 30% das mulheres jovens e adultas. Surge com a gravidez, com a puberdade, diabetes, stress e uso de antibióticos. No homem causa coceira no pênis, vermelhidão na glande e no prepúcio. Deve se tratar o casal.

AIDS: é uma doença causada pelo vírus HIV (Vírus da imunodeficiência humana), transmitido principalmente pelo esperma, sangue, e leite materno, e há suspeitas de que também pela saliva. O beijo só poderá transmitir o vírus no período que está em alta concentração no sangue de um dos parceiros e o outro tem um ferimento na boca.

Clamidea: causada pela Chlamydia trachomatis é considerada atualmente a doença sexualmente transmissível de maior incidência no mundo, podendo atingir homens e mulheres em qualquer fase de suas vidas, desde quando nascem de mães contaminadas ou durante o contato sexual. Nos homens, a principal infecção por via sexual é a uretrite. Promove em alguns homens disúria (dor ao urinar) e um prurido uretral. Se não identificada e tratada corretamente, pode progredir para uma infecção mais profunda, atingindo os testículos com comprometimento da fertilidade. Nas mulheres, a porta de entrada é o colo uterino. O sintoma, quando ocorre, é um discreto corrimento. As complicações nas mulheres da infecção não tratada, são a doença inflamatória pélvica e o aumento do risco de gravidez ectópica (fora do útero, nas trompas). A maioria das pessoas (50% dos homens e 70% das mulheres) infectada não apresenta sintomas ou sinais clínicos, dificultando muito a identificação das pessoas contaminadas.

Redação Bem de Saúde

[ imprimir ] [ recomende este artigo ]