Ginkgo biloba

30 de junho de 2007

A árvore ginkgo biloba, que produz frutos conhecidos como noz selvagem, surgiu há cerca de 250 milhões de anos, quando apareceram espécies importantes de plantas terrestres e os répteis antecessores dos dinossauros. É origem chinesa, uma árvore considerada um fóssil vivo.

É um símbolo de paz e força, por ter resistido as bombas atômicas no Japão. Só despertou o interesse dos pesquisadores após a Segunda Gerra, quando viram que a planta tinha resistido à radiação em Hiroshima, brotando em todo solo da cidade destruída. Existe hoje em praticamente todo o mundo, no Brasil há exemplares produzidos de sementes, e não estão em extinção.


São árvores caducas, perdem todas suas folhas no frio e atingem uma altura de 20 a 35 metros de altura. É uma espécie vegetal que combate os radicais livre e auxilia na oxigenação do cérebro, entre diversas outros tipos de plantas que funcionam na medicina alternativa.

A planta é usada para uso medicinal na China há cerca de cinco mil anos. A noz da Ginkgo biloba era indicada para problemas respiratórios e o chá, feito das folhas, para fazer tratamento de problemas de perda de memória em idosos.

Redação Bem de Saúde

[ imprimir ] [ recomende este artigo ]