Remédio natural também faz mal

06 de novembro de 2007

Quem confia que um chá doméstico é capaz de curar qualquer mal precisa tomar cuidado. Plantas e ervas medicinais, descobertas facilmente nas ruas e feiras livres do Rio, não sofrem nenhum tipo de fiscalização. Em vez de sarar, podem gerar desidratação, diarréia, sangramento, envenenamento e até o aborto.

Os médicos citam o exemplo da arruda, erva muito usada como calmante. “Se o chá estiver muito forte e for ingerido muitas vezes pela mulher, ela pode causar sangramento vaginal e até perder o bebê, caso esteja grávida”, lembrando que os chás prontos, comercializados em supermercados, não apresentam perigo, porque são submetidos a um controle maior.


O Ministério da Saúde avisa dos perigos da ingestão indiscriminada dessas substâncias. “Elas também têm princípio ativo, como qualquer medicamento, muitas vezes podendo até substituí-lo. Mas só são apropriadas se indicadas por um especialista e forem cientificamente comprovadas como eficazes”.

Outra dificuldade, segundo os especialistas, é a facilidade com que essas ervas são confundidas, tanto pelo feirante como pelo usuário. “Cada uma tem uma denominação diferente nos estados brasileiros, sem falar no nome folclórico.”

Redação Bem de Saúde

[ imprimir ] [ recomende este artigo ]