Os ídolos em nossas vidas

Publicado em 26 de agosto de 2009, quarta-feira.

O ser humano tem muitas faces. Se por um lado seu lado psíquico é único e exclusivo de sua raça, por outro ele carrega características genéticas e biológicas semelhantes aos animais.

A cultura, portanto, é um dos importantes aspectos que devemos considerar enquanto indivíduos do mundo. E, considerando os tempos atuais, a mídia é uma importante parte da cultura vigente, elaborando e criando o novo ser humano. A partir dessa influência no ser humano, é então elaborado o sujeito midiático, inserido e coparticipativo desse mundo, e sofrendo constantemente influências desse meio, na forma de falar, na moda, nas atitudes, nos comportamentos, nas tendências, na profissão, e por aí vai.

E quando se trata de adolescentes, essa influencia fica mais latente e visível. A palavra adolescência vem do latim "adolescer", que significa amadurecer. E amadurecer significa crescer, mudar a forma de pensar e de se relacionar no mundo, tendo sonhos, desejos e interesses diferentes de sua família. Na préadolescencia o sujeito se desliga de tudo que é ligado à infância, e constrói uma nova identidade para si, mas essa tarefa não é nada fácil. Nesse período, os jovens sofrem uma indefinição ainda maior do que na adolescência. Eles estão deixando de ser crianças - algo que eles conhecem muito bem - para ser algo totalmente novo. Isso cria muita fantasia e expectativa. Levando o adolescente a eleger um ídolo, ou seja, alguém a seguir, a imitar, de preferência alguém que seja famoso, que seja aceito, admirado pelas pessoas.

A construção de um ídolo, para o adolescente, é de suma importância, já que define comportamentos que poderão ser ou não aceitos dentro de seus respectivos grupos. A subjetividade desse jovem também muda conforme o tipo de cultura e de situação social na qual ele está inserido, mas a conduta de possuir um ídolo continua sendo importante para o jovem, pois na infância, os ídolos das crianças são seus pais, e na adolescência, já que os jovens dão maior importância ao mundo social, aos amigos, elegem um ídolo que não pertence a sua família, e sim conhecido e admirado por todo o seu grupo social.

Sabe-se que o desenvolvimento da personalidade do adolescente deve-se, em muito, à estruturação de suas relações sociais. Esta é a fase em que os espaços onde essas relações passam a acontecer e se abrem para além do mundo próprio da família, que antes pertencia à criança, e que é diminuída. Enquanto criança há total identificação com sua família, já na adolescência, há maior identificação com o mundo externo, sendo que quando um adolescente idolatra algum artista, ele está buscando uma forma de se identificar com algo. Ou seja, aquele ídolo é em parte, o que ele gostaria de ser, ou ter. Isso acontece porque sua própria identidade ainda não está formada. Através do ídolo de um adolescente poderá se conhecer melhor este adolescente. O ídolo vem do ideal desse sujeito, podendo ser real ou imaginário, ou seja, o lado bom é quando esse ídolo tem características aceitas e admiradas pela sociedade, se tornando um modelo para quem o admira. Como por exemplo, o sujeito que tem como esporte a natação, tendo como ídolo o Gustavo Borges, fazendo que esse sujeito se aprimore, treine cada vez mais, buscando sucesso e reconhecimento na tentativa de obter êxito nessa atividade. O ruim é quando o sujeito assume a identidade desse ídolo, se personificando com a aparência, conduta, valores deste, não criando assim sua identidade, mas sim se confundindo com a identidade do ídolo. Pode-se dizer que o comportamento de nenhum ídolo é perigoso, mas sim a forma como o sujeito o idolatra é perigosa, se tornando assim excesso de idolatria.

A tietagem também pode se tornar perigosa, quando o sujeito deixa de cumprir suas tarefas, seus compromissos para estar próximo ao ídolo, como também utilizar boa parte de sua renda para comprar coisas relacionadas ao ídolo. Ou seja, quando esse ídolo assume o papel principal da vida do sujeito, fazendo-o esquecer de suas próprias necessidades e obrigações.
Dra. Josiane Buratto

Dra. Josiane Buratto

A Dra. Josiane Buratto é graduada em Psicologia, com formação em Psicanálise e Pós graduada em Obesidade e Emagrecimento. Clique aqui para conhecer mais nosso(a) especialista.

Copyright 2017 © Bem de Saúde - Todos os direitos reservados

As informações e sugestões contidas nesse site têm caráter meramente informativo, e não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, dentistas, nutricionistas, psicólogos e profissionais de educação física.